Home / Vida de Mãe / Maternidade / Momo: como evitar conteúdo impróprio para crianças sem proibir o acesso a internet

Momo: como evitar conteúdo impróprio para crianças sem proibir o acesso a internet

Momo, uma figura bizarra e assustadora, principalmente para as crianças, já é uma figura conhecida no meio da internet, ficando famosa por desafiar as pessoas a cometerem diversos tipos de delitos e até suicídio.

Fortemente denunciada via WhatsApp, seu retorno vem tomando espaço e tirando o sono das famílias nos últimos dias, já que agora Momo está supostamente inserida no meio de vídeos infantis super populares no YouTube, (embora a Google ainda não tenha encontrado evidências desses vídeos na plataforma) induzindo as crianças a reproduzirem o que já era dito no desafio que viralizou no ano passado.

 

Uma tendência preocupante

Casos como o da Momo e o da Baleia Azul, por exemplo, além de nos revoltar e entristecer, também servem de alerta para que alguns cuidados sejam tomados na hora de liberar o acesso a vídeos, jogos e sites à crianças, principalmente as menores.

Apesar disso, no mundo atual, o acesso a esse tipo de conteúdo é fundamental, visto que a tecnologia, quando bem aplicada e utilizada, tem o poder de facilitar e ampliar o conhecimento de forma geral, e proibir esse acesso é negar um mundo de possibilidades que farão total diferença no curto e longo prazo.

Com esse dilema, acabamos nos deparando com a pergunta: como transformar a internet em um ambiente seguro para as crianças?

Nenhum lugar é 100% seguro, seja ele real ou digital, nem mesmo a nossa casa está livre de “perigos”, mas assim como tomamos precauções no nosso lar, podemos tomar alguns cuidados na internet, sejam eles para evitar conteúdo impróprio ou para proteger dados pessoais.

A quantidade de tempo que a criança vai poder utilizar ou a fonte pela qual ela vai acessar fica a critério dos pais, de acordo com a realidade de cada um 🙂

 

Como evitar conteúdo impróprio para crianças sem proibir o acesso a internet

  • Imponha limites e regras: primeiramente, se a criança já for maiorzinha e conseguir usar o computador ou qualquer que seja o dispositivo em que acessa a internet sozinha, é preciso conversar com ela e estabelecer limites e regrinhas a serem seguidas.

Não existe maneira melhor de fazer com que uma criança compreenda a necessidade de limites, do que explicando com cautela e sinceridade, os perigos e os riscos. Tendo isso em mente, ela já vai estar melhor preparada para estar online.

  • Supervisão e responsabilidade: devemos ter em mente também, que uma conta no YouTube ou nas redes sociais é indicada apenas para maiores de 13 anos. Apesar disso, crianças abaixo dessa faixa etária costumam acessar e até criar conteúdo para essas plataformas, então, se você tem uma criança dessa em casa, lembre-se de sempre supervisionar o conteúdo assistido ou criado, além de toda a interação que ela possa vir a ter.

 

  • Dados e senhas: obter os dados de login e senhas dos filhos é essencial e faz parte do ato de supervisionar o que eles andam vendo e fazendo na internet.

 

  • YouTube Kids: YouTube Kids é um aplicativo criado pelo YouTube especificamente para as crianças. Todo o conteúdo mostrado do app passa por um tipo de aprovação, tornando o ambiente mais seguro para as crianças, além de permitir uma personalização de acordo com a faixa etária selecionada.

 

  • Fontes oficiais: para ter certeza que os vídeos aos quais as crianças vão ter acesso sejam apropriados, procure sempre os canais e páginas oficiais do personagem ou pessoa em questão. Já houveram casos de vídeos inapropriados para crianças que usavam da figura de personagens de desenhos animados queridos pelos pequenos, mas que nada tinham a ver com a empresa responsável. Os veículos oficiais geralmente são verificados com um selo pelas próprias plataformas.

 

  • Participe desse mundo: se a gente quiser realmente verificar a qualidade do que nossas crianças estão consumindo, nada melhor do que participar do que ele estiver fazendo. Assista aos vídeos junto com elas, participe dos grupos e jogue os mesmos jogos. Estar imerso nesse universo, além de trazer uma visão do ponto de vista da criança, ainda pode aproximar as duas gerações.

 

  • Indique o bom conteúdo: se você for como eu e consumir tanta (ou mais) internet quanto seus filhos, procure bons conteúdos para que eles possam se entreter e aprender. Trocar indicações de vídeos e músicas favoritas pode ser uma boa maneira de incentivá-los.

 

O Brasil está cheio de canais com conteúdo seguro e divertido para crianças, deixo aqui uma pequena lista com alguns dos favoritos dos meus filhos:

Paulinho e Toquinho

Planeta das Gêmeas

Crescendo com Luluca

Brancoala

 

E se você tiver mais alguma dica importante, deixe nos comentários 😉

 

 

 

 

 

Related Post

Comments

comments

About Raissa

Check Also

Loja Skull Clothing

Loja Skull Clothing – Street Wear

A tendência do Street Wear vem crescendo a cada dia na vida daquelas pessoas que, …

2 comments

  1. Este post é de extrema importância, principalmente para quem tem crianças em casa. Parabéns pelas dicas! Muito útil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *