Home / Saúde / A Síndrome do Pânico na gravidez

A Síndrome do Pânico na gravidez

Dando continuidade aos meus relatos sobre a minha experiência com a Síndrome do Pânico, vou comentar hoje como foi passar por isso durante a gravidez.

síndrome do pânico na gravidez

A ansiedade na gravidez

Por incrível que pareça, sinto que durante todos os meses de gestação, minha ansiedade deu uma diminuída, talvez seja por toda aquela mudança hormonal. Apesar disso, a reação psicológica perante as mudanças hormonais, de cada mulher é diferente, então pode acontecer de a ansiedade aumente ou se mantenha como sempre esteve. Eu não tive nenhum episódio de “ataque” de pânico, nem mesmo quando precisei sair desacompanhada. Porém, outros tipos de medo me atingiram, e quase todas as noites eu me acabava em lágrimas por medo do que viria, pois eu tive um histórico complicado de eclâmpsia pós-parto em minha primeira gestação e temia que acontecesse novamente. Minha mãe sempre me acompanhava nas consultas médicas, então eu me sentia segura nessas ocasiões.

Ajuda médica no pré-natal

Algumas mulheres só começam a ter problemas com a Síndrome do Pânico ao engravidar. Por isso, mais do que nunca, deve-se comunicar ao médico responsável pelo pré-natal e nunca se automedicar, nem mesmo com calmantes, pois essa atitude pode ser prejudicial ao bebê. Eu cometi o erro de não comunicar ao médico responsável pelo meu pré-natal que eu sofria com a Síndrome do Pânico. Nessa época eu ainda tinha receio de falar sobre isso, principalmente porque não tinha um diagnóstico, eu tinha medo de que os profissionais médicos não me levassem a sério por conta disso. Hoje eu vejo, que se eu tivesse aproveitado para procurar a ajuda médica necessária naquela ocasião, eu poderia até ter conseguido algum tipo de terapia, algum apoio psicológico na própria rede do SUS, o que teria me ajudado muito!

Se você está passando por esse momento delicado durante a gestação, a minha mensagem para você é: 1 – não tenha vergonha de conversar com seu médico a respeito disso. Mesmo que a especialidade dele seja ginecologia/obstetrícia, ele pode te encaminhar para um profissional da área indicada para o seu problema, e juntos, podem oferecer um melhor atendimento. 2 – tudo vai dar certo! Por mais que pareça difícil agora, você e seu bebê vão sair dessa, bem e felizes, digo isso por experiência própria! 😉

 

Related Post

Comments

comments

About Raissa

Check Also

Melhores presentes para mães geeks e nerds – Dia das Mães

Uma das datas comemorativas mais importantes do ano está chegando: o Dia das Mães! Sendo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *