Home / Mundo Geek / Livros / Resenha: Guerra do Velho

Resenha: Guerra do Velho

Depois de anos enrolando, eu finalmente terminei de ler Guerra do Velho e posso dizer que gostei muito mais do que imaginava que iria gostar!

Guerra do Velho

SOBRE O LIVRO:

  • Título: Guerra do Velho
  • Autor: John Scalzi
  • Editora: Aleph
  • Gênero: Ficção científica, Ficção Militar, Space Opera
  • Páginas: 368
  • Sinopse: A história se passa em um futuro próximo, no qual os humanos são capazes de realizar viagens interestelares. O universo, entretanto, não é um ambiente amigável, pois diversas formas de vida disputam por meio das guerras os poucos planetas habitáveis. O peso de proteger a humanidade concentra-se nas mãos das Forças Coloniais de Defesa (FCD). Os membros desse exército são os únicos que conhecem o que acontece no espaço porém é preciso ter pelo menos 75 anos para se alistar. E é exatamente isso que o viúvo John Perry, protagonista do romance, faz.

MINHA OPINIÃO:

Eu não sou a maior fã de literatura militar, guerras e afins, porém, a sinopse de Guerra do Velho me despertou interesse por conter todo esse lado da ficção científica.

Eu amo tramas que se passam em um futuro tecnológico como o apresentado em Guerra do Velho, então não foi difícil me apegar a essa leitura, pois, assim como em Star Wars, a parte militar e política é ofuscada pelo carisma e aventura dos personagens.

John Scalzi conseguiu dar ao personagem principal, John Perry, a dose necessária de simpatia e franqueza (com uma pitada de sarcasmo), tornando-o um senhor simpático e que desperta a nossa curiosidade para a nova fase de sua nova vida.

Guerra do Velho

Muito além do exército

O ambiente criado em Guerra do Velho vai muito além (muito mesmo, galáxias distantes) do ambiente que imaginamos quando falamos em forças armadas e guerras.

Neste livro, somos levados de forma quase inconsciente a refletir não somente sobre a vida, mas o “viver” em si. Temas como o nascer e o morrer são abordados de formas totalmente inesperadas, conceitos de humanidade, identidade e ciclos que se repetem também são questionados com a mesma sutileza, o que não anula o fato de tudo acontecer em meio a guerra em busca da colonização do universo (ou a parte dele que é compatível com a humanidade).

Pontos altos e pontos baixos

Um dos pontos altos do livro, com certeza, são as inovações que a tecnologia trouxe para humanidade, tecnologia essa que humanos comuns não tem acesso, mas os membros da FCD recebem desde o primeiro dia que deixam a Terra.

Não da para deixar de notar que toda a narrativa é contada através de um “olhar americano“, assim como acontece com a maior parte das produções cinematográficas, e mesmo estando bem distante da Terra, essa influência percorre por todo o livro.

Senti falta de um aprofundamento maior nos outros personagens que entram na vida de John Perry e espero que, os que sobraram, sejam melhor explorados na sequência de Guerra do Velho, que eu ainda não tive a oportunidade de ler.

Related Post

Comments

comments

About Raissa

Check Also

o rei leao

Resenha: O Rei Leão 2019

No final de semana passado, fui conferir a nova versão de O Rei Leão, novo …

6 comments

  1. Oie

    Apesar de “A guerra do velho” não ser o meu tipo de leitura,tenho muita vontade de o ler ,por motivos de que só ouço elogios sobre ele.

    Gostei da sua comparação com “Star Wars”, porque evitei por tempos os filmes da saga por ser bem longe do tipo de história que me atrai também. E no final acabei gostando

    Amei a resenha

    Beijos

    Meu mundinho quase perfeito

    • Oi, Babi!

      Eu tinha um super preconceito com Star Wars justamente porque a temática de “guerra” não me despertava interesse, mas depois decidi dar uma chance e acabou se tornando uma das minhas franquias favoritas!

      Muito obrigada pelo comentário <3

  2. Olha, confesso que também não sou muito fã desse tipo de livro, mas me despertou muito interesse a sua resenha dele… a história parece bem ser boa e quando fala de tecnologia eu já curto mais.

  3. Oi
    Que dica legal 🙂 adoro livros com essa temática, não conhecia o trabalho do John Scalzi…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *